Porque investir em anúncios para e-commerce

dezembro 17, 2020 9:00 am Publicado por Deixe um comentário

Com clientes cada vez mais exigentes, e com tanta concorrência no mercado é fundamental garantir que a sua empresa esteja se destacando no cenário digital.

Para isso, você pode investir em técnicas como o Marketing de Conteúdo para atrair leads de forma orgânica ou então apostar em anúncios pagos para o seu e-commerce.

Atualmente, investir em publicidade online já se tornou uma importante estratégia para o marketing digital. Essa tendência é ainda mais relevante para lojas virtuais, que dependem de uma boa presença online e da atração de tráfego de usuários interessados em consumir os seus produtos.

Dessa forma, apostar em anúncios pagos para e-commerce se tornou essencial para se destacar no mercado.

Quais são as principais vantagens de investir em anúncios pagos?

Comprar pela internet já se tornou um hábito no Brasil, para se ter ideia, o e-commerce recebeu 90,8 milhões de pedidos no 1º semestre de 2020, alta de 39% em comparação com o período anterior, de acordo com pesquisa da Ebit/Nielsen. O faturamento de lojas online cresceu 47% no 1º semestre de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019.

Portanto, não ter uma presença forte no mundo digital pode prejudicar o faturamento do seu negócio. Afinal, de nada vai adiantar oferecer os melhores preços e produtos se, na prática, ninguém conhece a sua loja. Assim, se torna necessário investir em estratégias de divulgação para a sua marca.

Com técnicas de Marketing de Conteúdo em ação – como investir na produção de um blog com conteúdo relevante –, você consegue atrair mais leads e destacar a sua empresa de maneira orgânica. O bom posicionamento em mecanismos de busca, como o Google, também é importantíssimo.

Porém, essa é uma estratégia de médio e longo prazo e, assim, é preciso investir em diferentes frentes para se destacar. Com uma estratégia voltada para os anúncios pagos também, você fortalece a presença digital da sua marca e, mais importante, de maneira quase que imediata.

Diante desse panorama de oportunidade de vendas e do atingimento em massa de um grande número de pessoas, vários resultados podem ser obtidos com a publicidade online, como:

>aumento na geração de leads;

>maior exposição do conteúdo relacionado à sua empresa;

>maior tráfego e visibilidade para sua marca;

>investimento flexível;

>a curto prazo;

>análises mais eficientes;

>maiores possibilidades de segmentação;

>otimização dinâmica para ajustes, caso a estratégia não esteja dando certo.

Formatos de anúncios pagos para o seu e-commerce

No Brasil, o investimento em publicidade vem crescendo ano a ano, isso reforça a importância de se investir em anúncios online no país. Ao identificar essa necessidade, é hora de escolher os melhores formatos para o perfil do seu negócio.

É preciso realizar um planejamento estratégico. E o primeiro passo é definir qual dos diferentes tipos de anúncios online que você pode utilizar nas campanhas da sua empresa. Para facilitar o seu trabalho, separamos uma lista, confira!

Anúncios do Google Ads

São os anúncios desse motor de busca que aparecem na parte de destaque da página de pesquisa, deixando sites específicos em evidência.

Eles funcionam por meio de leilões de palavras-chave e são criados pelo Google Ads (antigo AdWords) de acordo com o público e as diretrizes de segmentação que você escolher. Funcionam por meio de CPC (custo por clique), CPM (custo por mil impressões), CPA (custo por aquisição) e CPV (custo por visualização, no caso de vídeos).

Estratégia: muito usado por empresas de diversos ramos, a plataforma funciona com os conteúdos produzidos pelos anunciantes sendo exibidos na Rede de Pesquisa, na Rede de Display ou nas duas. Não obstante, o principal benefício é se destacar da concorrência e aparecer na primeira página de resultados de uma busca ou na infinidade de sites que estão afiliados a ele pelo AdSense.

Rede de Pesquisa

O que são: são os resultados que aparecem direto na página de busca do Google, a SERP (Search Engine Results Page), tanto no início quanto no fim. Esses famosos links patrocinados têm formatos menos padronizados e permitem extensões.

Como funcionam: segundo o próprio Google, a ordem em que o anúncio é exibido em uma página acontece por meio de um leilão, que gera uma classificação baseada em: valor do lance, qualidade do anúncio no momento do leilão (incluindo a taxa de cliques esperada, a relevância e a experiência na página de destino), limites mínimos de classificação, contexto da pesquisa (localização, dispositivo, horário, termos de pesquisa, outros anúncios e resultados de pesquisa, além de outros sinais e atributos dos usuários) e no impacto esperado das extensões e de outros formatos de anúncio.

Estratégia: é importante colocar no título a palavra-chave mais relevante para o seu público durante uma busca, pois esses termos costumam ficar em negrito e se destacar para o usuário que os procura.

Rede de Display

O que é: é anúncio gráfico que pode ser divulgado nas páginas afiliadas ao Google, além de sites como YouTube, Gmail e Blogger.

Como funcionam: são permitidas campanhas gerais, de remarketing e até audiovisuais, além de existir uma segmentação de exibição com base no histórico de navegação do usuário.

Estratégia: esses anúncios são excelentes formas visuais de se fazer propaganda, principalmente em datas promocionais. Para isso, é necessário usar imagens de boa qualidade, com equilíbrio no layout, além de um CTA (call to action) impactante.

Campanhas de Remarketing

O que são: anúncios que resgatam clientes para sua loja após visita inicial ao site da empresa.

Como funcionam: acontecem pelo Google Ads e funcionam por meio de uma tag ou pixel que você pode adicionar ao portal da sua empresa, além de definir listas de remarketing para cada página visitada.

Estratégia: estima-se que 95% dos usuários que entram em um site saem em seguida sem fazer nenhum tipo de interação. Porém, isso não significa que você perdeu definitivamente esses possíveis clientes.

Com campanhas de anúncios de remarketing — oferecendo um cupom de desconto ou frete grátis, por exemplo — você pode convencer parte desse tráfego que havia se interessado anteriormente pelo seu produto, mas que seria desperdiçado, a retornar ao seu site e finalmente realizar a compra.

Google Shopping

O Google Shopping é um serviço que permite a oferta de produtos de sites de compras online e os consumidores podem comparar os preços entre os diferentes fornecedores.

Como funciona: basta estar cadastrado no Google Merchant Center, ter um arquivo XML da loja e vincular o sistema ao Google Ads para poder criar campanhas. Diversas plataformas, incluindo a Tray Corp, já têm o XML do Google e a integração com a API Google Merchant Center, permitindo que você faça isso diretamente no painel de sua loja.

Estratégia: cadastrar seus produtos aqui pode ser uma estratégia relevante para destacar-se da concorrência, caso você tenha preços competitivos ou produtos bastante específicos, que outros e-commerces não oferecem.

Social Ads

O que é: como o próprio nome diz, trata-se da publicidade nas redes sociais. Aqui entram: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Waze e outros. Escolha estar nos canais em que seus clientes se encontram para poder destinar melhor seus recursos. O relacionamento pode ser bem trabalhado aqui, assim como as vendas.

Facebook

Como funciona: o Facebook Ads é uma das formas mais usadas por quem tem lojas virtuais, exibindo sua propaganda para um público segmentado.

Como é feita a cobrança: a monetização do Facebook funciona por CPC, CPM e ele ainda permite uma cobrança por engajamento ou por aquisição, variando de acordo com o tipo de campanha escolhida.

Estratégia: estar no Facebook é importante pois ele é a rede mais usada pelos brasileiros. Permite que você aumente a geração de leads e oportunidades de negócio com uma maior exposição da sua marca, tendo um custo menor que uma campanha em grandes veículos. Anúncios para e-commerce nesse canal costumam ter alcance bastante positivo.

Dica

As principais dicas na hora de criar a publicidade para o Facebook é manter CTAs claros, de acordo com os objetivos de marketing escolhidos nas campanhas, e valorizar imagens e vídeos, tornando-as atrativas e interessantes para que atraiam a atenção dos usuários em meio a competição de informações no feed de notícias.

O Facebook permite um local de teste, o Creative Hub, no qual você pode ver como ficaria sua publicidade e se inspirar em outras propagandas existentes. Além de criar seus mockups, você pode gerar uma URL do anúncio para mostrar ao seu time de marketing antes de que seja publicado.

Instagram

É a segunda rede social mais usada no país e muito indicada para e-commerces de moda e cosméticos, por exemplo, oferecendo grande potencial de engajamento e conversão, já que a ferramenta permite etiquetar preços de produtos nas fotos.

Como funciona: funciona também pelo Facebook Business Manager. Basta configurar o anúncio na ferramenta e vincular sua conta do Instagram para poder criar suas campanhas no Power Editor.

Como é feita a cobrança: a cobrança ocorre por CPM e CPC.

Estratégia: você pode escolher dentro da versão Business uma série de objetivos de marketing para sua campanha. Ela pode ser direcionada tanto para ser exibida no feed do Instagram quanto no Instagram Stories. Entre os objetivos de marketing que podem ser escolhidos estão alcance, visualizações do vídeo ou conversões de acordo com as suas expectativas, e assim criar suas campanhas com base nelas.

YouTube

Como funciona: mais uma vez os anúncios pagos são integrados ao Google Ads e existem diversas possibilidades de exibi-los em diferentes canais. Os algoritmos do YouTube ligam os vídeos dos criadores de conteúdo às publicidades pagas, levando em consideração os interesses de ambos.

Porém, é importante destacar que cada canal pode personalizar os tipos de anúncios que aceita exibir e até bloquear alguns tópicos que não deseja. As opções de criação de conteúdo passam por manuais de uso de produtos a documentários e vídeos promocionais das marcas, sendo uma rede bastante versátil.

Como é feita a cobrança: além do CPM, CPA e CPC, o YouTube conta ainda com precificação por CPV (custo por visualização), usada somente para campanhas em formato de vídeo.

Estratégia: existem dois tipos principais de anúncios: o Non-skippable e o TrueView. O primeiro aparece no início do vídeo, dura até 15 segundos e não pode ser ignorado pelo usuário — enquanto o segundo tipo pode. TrueView é uma modalidade interessante para publicidade de lojas, por ser flexível e proporcionar melhor experiência para o usuário, uma vez que eles receberão as recomendações de acordo com suas as preferências pessoais.

Dica

Diversos segmentos podem lucrar com essa estratégia, como os de Música, Comida, Eletrodomésticos e eletrônicos, como é feito pela empresa de máquinas fotográficas GoPro.

Native Ads

O que são: são as propagandas nativas, ou seja, que fazem parte da estrutura de um site ou de seu conteúdo, como grandes sites de notícias.

Diferenciais: as vantagens de investir nessa opção são o grande alcance desses canais e a autoridade que eles têm. Entretanto, os valores cobrados nessa modalidade normalmente são mais altos do que as outras opções.

Quer saber como funcionam os processos de e-commerce da Social para sua loja online, agende um call: contato@socialfullcommerce.com.br ou pelo telefone 11 41186493

Leia Também:

Porque você deve terceirizar a gestão da sua loja virtual?

Desenvolvimento de novos Produtos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *