Como o cross border pode impactar positivamente seu e-commerce

novembro 18, 2020 9:00 am Publicado por Deixe um comentário

Uma coisa é fato, a presença de uma loja na internet já deixou de ser apenas um diferencial e se tornou um fator importante para o sucesso de qualquer negócio.

Isso porque além de aumentar as vendas e a visibilidade da empresa, um e-commerce também permite com que o empreendedor consiga expandir suas fronteiras: e esse é o conceito principal do cross-border!

Com foco nas vantagens da importação/exportação de produtos, essa técnica é ideal para empresas que estejam buscando por estratégias que possam alavancar o negócio de maneira eficiente e significativa.

No entanto, é fundamental entender melhor esse mercado e saber como lidar com os desafios que possam surgir no caminho.

Para te ajudar nessa missão, separamos as informações mais relevantes para quem deseja desfrutar dos impactos positivos que o cross-border tem causado no segmento de comércio e logística.

Modelos de cross-border

Existem algumas alternativas para e-commerces de exportação de acordo com o modelo ideal para cada negócio. Nesse momento, é importante conhecer a fundo cada uma das opções para escolher a estrutura mais vantajosa para sua empresa.

Podemos resumir os modelos logísticos em dois sistemas: exportação direta e exportação indireta.

• Logística direta

Na exportação direta a empresa que vai realizar as vendas é totalmente responsável por todos os procedimentos de entrega e distribuição. Isto é, você, vendedor, deverá cuidar de todos os passos da entrega do produto para o seu consumidor final.

Como vantagem esse modelo de cross-border oferece a isenção de impostos como o IPI e o ICMS para transporte. Desse modo, a empresa consegue obter uma maior margem de lucro sobre a venda de seus itens.

No entanto, será essencial estudar todas as diretrizes e regras para a comercialização para o país de origem, cumprir com todas as responsabilidades fiscais e implicações exigidas para o negócio em questão.

• Logística indireta

exportação indireta é o modelo de cross-border mais utilizado pelos e-commerces pela praticidade e terceirização de algumas etapas fundamentais.

Nesse sistema, os produtos são adquiridos por parceiros que realizam as vendas para o exterior e cuidam de todo processo de venda para o cliente final.

Desse modo, a empresa é responsável pela venda e envio ao intermediador, que posteriormente cuidará da entrega e do relacionamento com o cliente para a venda final.

Vale a pena ressaltar que nesse caso também é extremamente importante estudar todas as condições, requisitos e particularidades para calcular se o modelo será vantajoso para o negócio.

Como viabilizar o cross-border de maneira eficiente

Agora que você já entendeu melhor o funcionamento dessa técnica de vendas, confira dicas preciosas de como viabilizar o cross-border.

Escolha do produto

O primeiro passo para criar um e-commerce de sucesso é estudar o mercado que você deseja abordar. No caso do cross-border esse princípio é ainda mais importante – considerando os costumes e comportamentos diferentes dos consumidores de outros países, conhecer mais a fundo o seu público alvo será fundamental.

Mesmo que sua marca ou empresa já tenha alguma autoridade no território nacional, é importante entender que assim como o alcance, a concorrência no cross-border também é mundial. 

Ou seja, se o seu produto não estiver sendo realmente requisitado no país importador, dificilmente suas vendas terão um resultado significativo.

Por isso, realizar pesquisas de aceitação e necessidade nos países que você deseja explorar é um pré-requisito fundamental para viabilizar o cross-border em seu e-commerce.

Precificação

Além do produto ideal, a precificação também pode ser um fator decisivo no sucesso do seu cross-border. Isso porque qualquer cálculo errado pode sabotar sua estratégia, fazendo com que os custos para exportação superem os lucros e causem prejuízos financeiros ao seu negócio.

Ao mesmo tempo, uma precificação acima do aceitável pelo mercado externo pode acabar com a competitividade do seu produto, fazendo com que os consumidores optem por versões mais baratas de concorrentes mesmo que você esteja oferecendo algo melhor. 

Para chegar ao preço ideal, é importante considerar não só os custos de produção, mas também os custos operacionais e de logística.

No caso do cross-border, também é preciso colocar na ponta do lápis os gastos com taxas e tarifas de importação e exportação. Após calcular os custos e adicionar a margem de lucro, deve-se comparar o valor final aos praticados no mercado de destino.

Caso o valor do seu produto esteja acima do praticado, ainda é possível optar por duas saídas: estudar a redução de custos ou a agregação de valor do produto final. Essa análise mostrará qual o potencial de sucesso do seu produto no mercado exterior.

Parcerias

Caso a exportação indireta seja a melhor opção para o seu e-commerce, a busca por parcerias confiáveis e vantajosas deve ser feita com cautela. Isso porque os custos com intermediadores entrarão na precificação, o que irá causar impacto direto na margem de lucro de suas vendas.

Além disso, a boa aceitação de seus produtos pelos consumidores também dependerá dos esforços de seus parceiros para negociar e gerenciar as operações comerciais, além de manter o bom relacionamento com o cliente.

Por isso, a pesquisa de fornecedores e colaboradores é uma das etapas mais importantes para quem deseja trabalhar com logística indireta com eficiência e garantia de bons resultados.

Apresentação dos produtos

Essa dica é válida para qualquer sistema de vendas pela internet. Mesmo conquistando cada vez mais a confiança dos consumidores, as vendas online ainda podem gerar dúvidas e receios, principalmente quando se trata da primeira compra de um cliente em potencial.

Como não é possível ver pessoalmente e sentir a qualidade do produto, a apresentação e as informações devem ser as mais completas possíveis.

No cross-border, é interessante enriquecer os anúncios com fotos, vídeos e informações bem detalhadas a respeito do material, dimensões e demais dados relevantes para o comprador.

Imagens reais e apresentação completa ajudam a fortalecer a autoridade da empresa, fazendo com que o cliente se sinta mais confiante e seguro em negociar com uma empresa estrangeira.

Nesse cenário, o marketing e o relacionamento com o cliente precisam ser adaptados, garantindo a mesma qualidade de atendimento das negociações nacionais.

Valor Agregado

Como já citamos, agregar valor ao produto é uma excelente estratégia para melhorar a rentabilidade e a margem de lucro.

Para isso, vale a pena investir não só na apresentação e no marketing do produto, mas também nas soluções inovadoras de acordo com as tendências de mercado.

Se a sua empresa promove a sustentabilidade, por exemplo, essa característica pode agregar valor para o mercado exterior que se preocupa cada vez mais com essa pauta.

Se o seu público está interessado em um item de alta qualidade, o fator de valorização pode ser a matéria-prima utilizada ou as funcionalidades variadas de um mesmo produto.

Qualquer fator que diferencie o seu produto dos oferecidos pelos concorrentes pode ser usado como valor agregado para fazer com que seu público enxergue além do preço e passe a priorizar as negociações com a sua marca.

Gostou de conhecer melhor sobre o cross-border e todas as vantagens que ele pode agregar em seu e-commerce? Confira as soluções que a equipe de especialistas Social tem a oferecer para o seu negócio. Agende um call conosco! contato@socialfullcommerce.com.br

Leia Também:

Porque você deve terceirizar a gestão da sua loja virtual?
7 razões para investir no Cross Border

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *